sábado, 29 de janeiro de 2011

Poesia de João (Espírito) - Recebida em 12/03/2009 na Fraternidade Espírita Chico Xavier

Quero quedar-me aos seus pés, oh! Mestre Divino
Pedir-te perdão pelas injúrias
Quero dizer-te que agora eu acredito em ti
Apesar de tantas incúrias

Senhor quero te ver em minha frente
Como Saulo o viu uma vez
Quero te sentir presente
Em meu ser, aplacando toda a sordidez

Oh! Querido amigo
Sentir-me-ei honrado com o seu amor
Desde há muito que eu o procuro
Sentir-me-ei feliz com minha dor

Desde já, sei que o procuro, amigo meu
Desde já, não sou mais um ser delirante
Não me entrego mais, aos braços de Morfeu
Quero viver, não sonhar como dantes

Seja Senhor de minha alma
Seja para mim como o sol nascente
Seja como remédio, que me acalma
Seja também o meu sol poente

Seja para mim, a luz a adentrar a sala
Seja o iluminar de meus dias
Seja o sol de minha casa
Seja o meu ser, seja o meu dia

Ah! Senhor, há quanto te procuro
Há quanto tento ver-te
Sei que para isso precisarei quebrar os muros
De minhas imperfeições, e depois erguer-me

Senhor eis me aqui!
Sedento de amor, de luz e de paz
Senhor eis me aqui!
Sofrer, nunca mais,nunca mais...

João
(Mensagem recebida na noite do dia 12/03/2009 às 20h na Fraternidade Espírita Chico Xavier)

Um comentário:

George Nunes Bueno disse...

Que mensagem Linda.
As minhas ainda são de quando estou encarnado. ehehehe

Abraços!

http://leia-atentamente.blogspot.com/

George