quarta-feira, 5 de setembro de 2007

CONCEITO DE MEDIUNIDADE

FRATERNIDADE ESPÍRITA CHICO XAVIER
DEPARTAMENTO MEDIÚNICO


Médium quer dizer medianeiro, intermediário. Mediunidade é a faculdade humana, natural, pela qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos. Não é um poder oculto que se possa desenvolver através de práticas rituais ou pelo poder misterioso de um iniciado ou de um guru. A Mediunidade pertence ao campo da comunicação. Desenvolve-se naturalmente nas pessoas de maior sensibilidade para a captação mental e sensorial de coisas e fatos do mundo espiritual que nos cerca e nos afeta com as suas vibrações psíquicas e afetivas. Da mesma forma que a inteligência e as demais faculdades humanas, a Mediunidade se desenvolve no processo de relação. Geralmente o seu desenvolvimento é cíclico, ou seja, processa-se por etapas sucessivas, em forma de espiral. As crianças a possuem, por assim dizer, à flor da pele, mas resguardada pela influência benéfica e controladora dos espíritos protetores, que as religiões chamam de anjos da guarda. Nessa fase infantil as manifestações mediúnicas são mais de caráter anímico; a criança projeta a sua alma nas coisas e nos seres que a rodeiam, recebem intuições orientadoras dos seus protetores, às vezes vêem e denunciam a presença de espíritos e não raro transmitem avisos e recados dos espíritos aos familiares de maneira positiva e direta ou de maneira direta ou simbólica e indireta. Quando passam dos sete ou oito anos, integram-se ao condicionamento da vida terrena, desligando-se progressivamente das relações espirituais e dando maior importância às relações humanas. O espírito se ajusta melhor ao seu escafandro para enfrentar os problemas do mundo. Fecha-se o primeiro ciclo mediúnico, para segui-la abrir-se o segundo. Considera-se então que a criança não tem mediunidade, a fase anterior é levada à conta de imaginação e de fabulação infantil.
É geralmente na adolescência, a partir dos doze ou treze anos, que se inicia o segundo ciclo. No primeiro ciclo só se deve intervir no processo mediúnico com preces e passes, para abrandar as excitações naturais da criança, quase sempre carregadas de reminiscências estranhas do passado carnal ou espiritual,
(Miranda, Hermiio C. - Diversidades dos Carsimas)
Continua...

Um comentário:

joana d'arc disse...

Adorei o tema, serviu de exclarecimento para o meu estudo da mediunidade. Parabéns parabéns parabéns...